CulturaEm DestaqueFlash

Fazer de Benguela província de leitura e livro, diz Wendalica

A Brigada Jovem de Literatura de Angola elegeu, ontem 30.12, no auditório da rádio Benguela, Sapuia Pinoca Wendalica como representante da Brigada naquela província.

Falando ao PRIMEIRO, Wendalica explicou que a Brigada tem como missão fazer de Benguela uma província de leitura e livro, e apresentou a criação de clubes de leitura nas escolas e comunidades como estratégia para transformar consciências e humanizar comportamentos.

“No nosso mandato, pretendemos criar uma rede de leitura permanente. As escolas e os centros culturais serão alvos desta rede de leitura”, disse.

O representante da Brigada naquela província afirmou ainda que, membros de outros movimentos literários também estão convidados a fazer parte da Brigada, desde que não haja interferências na actuação dos mesmos em ambos os movimentos.

“A BJLA não pode criar entraves a outras organizações, deve actuar como mediadora, promotora e inclusiva. A Brigada de Literatura de Angola, em Benguela, será uma sociedade de escritores coesos e capacitados”, explicou.

Wendalica realçou que, os líderes de outros movimentos não podem fazer parte da Brigada, desde que renunciem os seus cargos naqueles movimentos, mas salientou que poderão ser parceiros estratégicos.

“Aceitamos membros que não sejam líderes de outros movimentos literários, salvo se os mesmos renunciarem. Os líderes de movimentos literários e seus movimentos poderão ser parceiros estratégicos da Brigada, reforçou.

A Brigada Jovem de Literatura de Angola, que existe desde os anos 90, esteve inactiva há quase doze anos e só agora ressurgiu, devido à dinâmica da nova direcção liderada por Carlos Pedro, e tem como estatuto de mandato apenas dois anos acolhendo um número ilimitado de membros.

Por: Olímpia Salucundji