Em Destaque

BDA aprova projectos estimados em 157 milhões de Euros

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) aprovou, para até o segundo trimestre de 2020, quatro projectos estruturantes, avaliados em 157 milhões e 513 mil e 965 Euros, do sector Agro-pecuário e Indústria, para financiamento da Linha de Crédito Deutsche Bank.
Conforme o director do Gabinete de Operações Estruturadas do BDA, Ângelo Correia, dos quatro projectos aprovados, através da sucursal espanhola do banco alemão, apenas dois concordaram com as condições financeiras, impostas pelo financiador.

O responsável explicou, este sábado à ANGOP, ter sido concedida a garantia soberana (condição precedente à cedência do financiamento) ao projecto de produção de óleo alimentar e farinha de soja.

Trata-se da empresa Carrinho Empreendimentos S.A, que vai beneficiar de um financiamento de 56,9 milhões de euros, para investir numa refinaria de óleo alimentar e produção de soja na província de Benguela.

Em entrevista, o director do BDA explicou que, após a emissão da Garantia Soberana, a fase a seguir será a contratualização do financiamento, na qual o BDA e Deutsche Bank celebrarão o contrato de financiamento para depois o banco angolano repassar o mesmo contrato ao devedor/empresário.

Ângelo Correia afirmou que a entrada em funcionamento da refinaria da Carrinho, dentro de dois anos, permitirá criar 300 postos de trabalho directo.

Lembrou também que a aprovação da empresa Carrinho Empreendimentos resultou das 19 solicitações de crédito recebidas pelo Banco de Desenvolvimento Angola, desde a celebração do acordo de financiamento com o Deutsche Bank, em 2019, e da análise de seis candidaturas.

Apontou, por outro lado, o cumprimento das normas ambientais, a criação de postos de trabalho e projectos com impacto positivo na balança de pagamento do país como os principais requisitos exigidos para aceder ao financiamento.

Questionado sobre o risco de se ter o crédito mal parado nesse tipo de financiamento, Ângelo Correia assegurou estar acautelado pelo nível de exigência do contrato e as entidades envolvidas.

A Linha de Crédito do Deutsche Bank, através da sua sucursal espanhola do banco alemão, é uma solução de concessão de crédito à importação e ou exportação, no âmbito de um acordo celebrado entre o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), a instituição alemã e o Governo de Angola, representado pelo Ministério das Finanças.

Para a concretização desse acordo, renovável anualmente, o Deutsche Bank tem disponíveis mil milhões de euros, para financiar projectos estruturantes do sector agrícola, da pecuária, das pescas e da indústria transformadora.

Com o objectivo de promover e apoiar o sector privado angolano, na importação de equipamentos, bens e serviços imprescindíveis à implementação de projectos de investimento, o financiamento do DB tem várias vantagens.

Neste particular, referiu-se ao reembolso do valor do crédito em kwanzas por parte do cliente, bem como à tramitação internacional da operação feita pelo financiador.

Após ao reembolso do valor em Kwanza, os empresários não têm que se preocupar com o problema das divisas, economizando tempo e recursos, tendo em conta que o DB cuida da operação internacional, como os pagamentos.

Sobre o Banco de Desenvolvimento de Angola
O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) é uma instituição financeira angolana, sob a forma de empresa pública, com sede em Luanda e escritórios em determinados pontos do país. Criado a 7 de Junho de 2006, esse banco angolano tem como principal objectivo o financiamento de longo prazo e investimento em todos os segmentos da economia nacional.
É um órgão de fomento no contexto do desenvolvimento económico, para financiar os grandes empreendimentos industriais e de infra-estrutura, tendo posição no apoio aos investimentos na Agricultura, no Comércio e Serviço, nas micro, pequenas e médias empresas.
Também apoia os investimentos sociais direccionados para a Educação e Saúde, Agricultura Familiar, Saneamento Básico e Ambiental e Transporte Colectivo de massa.