Em Destaque

Os 6 milhões de empregos criados vieram do sector da “Caça”, “agricultura” e outros

O Instituo Nacional de estatística em Angola, fez sair um comunicado de imprensa, nesta Quinta-feira, 28, sobre os alegados 6 milhões postos de trabalhos criados nos últimos meses de 2020, para desmentir as informações postas a circular nas redes sociais, e adiantar que tais empregos vieram de sectores como, a Caça, agricultura, floresta e outros.

O Instituto reitera o número total de empregados, apenas refuta a proveniência dos mesmos, conforme o comunicado que tivemos acesso.

“De facto, o Instituto Nacional de Estatística em conferência de Imprensa, comunicou o número total de pessoas declaradas empregadas no IV Trimestre de 2020, num universo de 15 497 110 de pessoas com 15 ou mais anos de idade, a população economicamente activa, 10 749 488 de pessoas foram declaradas empregadas e 4 747 622 de pessoas foram declaradas desempregadas” escreveu.


“Do total da população declarada empregada, mais da metade (56,1%), encontra-se no sector da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca, o que representa em termos numéricos 6 034 744 pessoas, seguido do comércio por grosso e a retalho com 19,4%, ou seja, 2 087 546 pessoas. O sector que menos emprega é o sector de actividades financeiras, imobiliária e de consultoria com 0,6%, um total de 60 296 pessoas.”


Neste contexto, conforme informação prestada na conferência de imprensa, os mais de 6 milhões referem-se a população declarada empregada no sector da agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca e não a criação de novos postos de trabalho conforme veiculada pela comunicação social.