Flash

Cuanza Sul lança 15 jornalistas no mercado em época de pandemia

Mesmo em plena época de instabilidade sócio-económica que o mundo enfrenta desde Dezembro último devido à pandemia da covid-19, finalmente, o município do Porto Amboim, província do Cuanza-Sul, lançou nesta Quarta-feira, 21, através da Academia de Jornalismo Intensivo (A.J.I), mais de quinze profissionais da comunicação social- vertente jornalismo-, no mercado angolano.

Segundo apurou o “O PRIMEIRO”, que são mais de quinze profissionais lançados no mercado de trabalho após à participação destes, com sucesso, numa formação de técnicas de jornalismo promovida pela Academia de Jornalismo Intensivo.



De acordo com o responsável máximo da A.J.I, Jhonny Kanzuanga, que mais do que reconhecer o potencial cognitivo dos novos jornalistas lançados no mercado também assumiu terem passado por grandes dificuldades, antes e durante a formação.

“Reconheço não ter sido fácil realizar essa formação fora de Luanda, nossa zona de conforto. Mas apesar dos pesar, conseguimos, finalmente, realizar o sonho de muitos jovens- ser grandes jornalistas”, disse.

Questionado pelo semanário digital “O PRIMEIRO” se os novos profissionais da comunicação estão ou não preparados para os desafios que mercado impõe, principalmente no Cuanza- Sul, o responsável respondeu:

“De facto, todos eles estão bem prepados para o efeito. Aliás, não é à toa que somos a A.J.I. Nós, enquanto Academia de Jornalismo Intensivo, estamos confiantes nos nossos formandos, hoje, jornalistas”, garantiu.

Por outro lado, o também jornalista da Rádio Comunitária do bairro Mundial, em Luanda, (RCBM, 87.5 FM), satisfeito com os vários elogios que recebera de seus formandos, disse:

“Estou muito satisfeito por ver realizado o sonho de muitos jovens. Hoje, até, sou tratado por ‘Anjo’, ‘Salvador’ e ‘Milagre’. Isso me deixa muito feliz. Obrigado, aos novos jornalistas pelos pseudónimos”, agradeceu.

De recordar ainda que, de acordo com Jhonny Kanzuanga, os mais de quinze profissionais intusiasmaram-se com a formação e, de seguida, disseram:
.

“Agradecemos ao formador Jhonny e a Academia de Jornalismo Intensivo (A.J.I) pela oportunidade de realizar nossos sonhos. Não é fácil deixar tudo, em Luanda, para vir ensinar-nos técnicas de Jornalismo Intensivo. Aliás, os nossos valores não correspondem ao que a gente aprendeu. Estamos gratos!”, reconheceram.

Por: Ngola Ntuady Kimbanda Nvita