Em DestaqueFlash

Estados unidos vê vida económica sustentável no “Delta de Okavango” no C.Cubango

O Presidente da República João Lourenço, recebeu em audiência nesta terça-feira, 24, em Luanda, a embaixadora dos Estados Unidos da América em Angola, Lina Maria Faite, e as conselheiras do senado, Suzany Lite e Cristian Stivens, para uma abordagem com o chefe de estado angolano para o reforço do apoio a programas de conservação e manutenção do ambiente bem como a participação de empresas Americanas em actividades da desmontagem em Angola.

A embaixadora dos Estados Unidos da América em Angola, Lina Maria Faite, em declaração a imprensa, a embaixadora disse que, no segmento ambiental, o que se pretende é trabalhar para a proteção do “Delta do Okavango” na província do cuando Cubango.

“Esse grupo está concetrado na conservação do ambiente lá no Cuando cubango, tanto quanto a representante do “Helo Trust”, que é o grupo de desminagem que o governo angolano está apoiar.”

“O Congresso Americano, alguns anos atrás passou a legislação chamada “Deltate” e isso, é sobre a proteção do Delta de Okavango, como sabemos, que todas as águas do Delta de Okavango, são de origem angolana, então a ideia é desenvolver o turismo, a vida económica sustentável dessa área. O “Helo Trust” e a ICCF, estes dois grupos estão a trazer outras fundações que apoiam o ambiente, consideraram.”

Angola e os Estados Unidos da América, estabeleceram relações diplomáticas formais em 1993, onde o sector da energia está na cooperação entre os dois países, desde 2002, e os objetivos da política externa dos Estados Unidos da América e Angola, tem sido fortalecer a democracia e promover prosperidade económica melhorar a saúde, bem como consolidar a paz e a segurança.

Recordar ainda que, o ECS-BANC, o Banco Norte Americano dispõe de uma linha de crédito de apoio às exportações Norte Americanas para Angola.