Em DestaqueFlash

Revendedores lamentam a baixa Procura pelas máscaras faciais

Com os números de casos positivos em queda, e os recuperados em alta, os revendedores de um dos produtos mais procurados dos últimos meses, viram-se obrigados a baixar os preços desta matéria prima, de 100 para 50kzs, de modo a despachar os produtos em estoque uma vez que a sua procura está em declínio.

As máscaras faciais passaram a fazer parte dos assessórios do dia a dia dos angolanos, por constituir um dos itens mais importantes no combate à Covid-19, por isso, negociantes viram neste novo produto, uma grande fonte renda, mas que agora não passa de um passivo,  segundo explicam alguns revendedores.

“As pessoas já não querem comprar as máscaras, alguns porque já não querem usar, outros porque já têm caixas em casa” disse um dos revendedores na Zona do Talatona, em Luanda.

A mesma tristeza é partilhada pela Filomena dias, revendedora desde Março de 2020, que diz que teve que começar a vender as máscaras num de 50 kzs porque ninguém comprava.

“Assim mesmo já estou a vender 50 kzs para ver se acabam as caixas e pelo menos sai o meu dinheiro que eu comprei para revender” desabafou.

Do outro lado, citadinos luandenses ouvidos pelo Jornal, justificam a não compra constante das máscaras por terem encontrado uma via mais barata, que é adquirindo as máscaras não cirúrgicas que lhes permite usar por mais tempo.