Em DestaqueFlashLifestyle

BENGO: estudantes universitárias lançam-se à prostituição para garantir a formação

Numa altura em que o retorno às aulas, em todo o país, estão aprazadas para esta Segunda-feira, portanto, 05 de Outubro, em Caxito, província do Bengo, por exemplo, Estudantes universitárias lançam-se à prostituição para garantir formação.

De acordo com as jovens, a situação não está fácil para elas e, não obstante, um dos motivos que as leva à referida prática- até aqui contra a reserva moral da sociedade, na visão de alguns leigos,- é o facto de seus progenitores estarem supostamente desempregados por força da maligna pandemia- Covid 19.



“A vida que levamos não nos ajuda em nada, pois a situação ficou cada vez mais difícil para todas nós. Os pais que nos ajudavam, lamentavelmente, também ficaram desempregados por conta da Covid. Por isso, hoje, a prostituição tornou-se área nossa única saída, onde, todavia, cada interessante deixa sempre 100 a 500 Kwanzas”, revelaram.

Questionadas pelo jornal “O PRIMEIRO” se naquela província, precisamente em Caxito, não há outros trabalhos que não seja o comércio do sexo, contudo, procederam.

“Aqui, em Caxito, é difícil aparecer outros trabalhos. Embora, nalgumas vezes, aparece biscatos. Mas somos rejeitadas por desconfiança da Covid-19”, lamentaram.

Jovem prostituta negociando o expediente

Por outro lado, as Estudantes-prostitutas acusaram alguns efectivos da polícia nacional em Caxito de às perseguir pelo “abençoado” trabalho que fazem em nome da formação.

“Somos perseguidas por alguns efectivos da polícia nacional em Caxito, e, de seguida, somos obrigadas a pagar uma fiança. Eu, Joana, por exemplo, já fui presa uma vez. Por isso, em nome de todas, peço ao Executivo para prestar mais atenção à classe estudantil”, pediu.

De lembrar que, na ocasião, o “O PRIMEIRO” ouviu o posicionamento do Pe. Simão Mufunda, da diocese de Caxito, que lamentou o facto é exortou os governantes a criar políticas de fomento ao emprego à juventude.

“Encaramos a situação com muita dificuldade e apreensão, uma vez tratar-se de situação que coloca a imagem é dignidade de nossas irmãs, filhas, sobrinhas e vizinhas em causa. Portanto, numa altura como essa, precisamos que todas as forças vivas da sociedade se unem para ajudar tais Estudantes”, apelou.

De recordar que o retorno às aulas estão aprazadas, em todo o país, para esta Segunda-feira, 05 de Outubro.

Jornalista: Ngola Ntuady