Em DestaqueFlashInternacionalPolítica

2021 pode ser catastrófico para os angolanos

O presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, admitiu durante o seu discurso à Assembleia geral da ONU, nesta Terça-feira, 22 de Setembro, haver incapacidade e escassos recursos para responder as necessidades dos angolanos, justificando que, todos foram colocados à disposição para mitigar o impacto da COVID-19, o que colocaria em risco, toda a esperança de melhoria da vida dos angolanos em 2021.
De acordo com o Chefe de Estado, os recursos disponíveis para financiar o sector produtivo da economia angolana, dentro da lógica da sua recuperação, tiveram que ser desviados, face ao contexto actual, para atender as necessidades de biossegurança e outras de carácter epidemiológicos urgentes.
“Neste âmbito, fomos obrigados a criar, muito rapidamente, centros para albergar pessoas em situação de quarentena institucional em todo país, apetrechar os hospitais nacionais com equipamentos fundamentais para as urgências médicas ligadas à COVID-19”, disse.
De igual modo, tal priorização, fez cair por terra as esperanças de começar a obter resultados positivos.
“As nossas esperanças de começar a obter resultados positivos depois do esforço da reestruturação da economia nacional, realizado no contexto em que tivemos de aplicar medidas difíceis e com um impacto bastante duro sobre a vida das populações, não se vão concretizar a breve trecho”, referiu.