Em DestaquePolítica

Mendigar ou roubar para sobreviver , o cenário triste que caracteriza Luanda nos últimos anos

Chuva de mendigos é o mais recente cartão de visita da cidade capital angolana, Luanda, onde na ausência de emprego, acompanhado de um elevado custo de vida, Ser mendigo tornou-se a principal forma de sobrevivência lícita, desde crianças, adolescentes e adultos, um cenário bastante triste de observar.

Nos semáforos da capital angolana, eles aproveitam e abordam automobilistas para pedir esmola para levar alguma coisa para casa.


O PRIMEIRO, numa ronda feita na manhã desta segunda-feira (13),
Constatou que a falta de condições e problemas familiares é a principal causa deste fenômeno.

As áreas como 1º de Maio, Talatona , São Paulo e Mutamba, são as zonas mais afectadas.

“Fico todos os dias aqui nas ruas do 1º de Maio porque tenho fome e em casa não temos o que comer. Minha mãe e meu pai não trabalham eu é que levo o pouco que recebo” disse um menino de rua.

” A minha tia me obriga a sair com a bebé dela para pedir esmola e ela fica em casa, aceito porque já não tenho família para além dela” Disse adolescente de 10 anos.

São revelações que podem ajudar a sociedade a compreender as razões de elevados mendigos, a maioria deles crianças, que passam horas nos pontos de maior circulação rodoviária, sozinhas ou sobre o ombro de algum adulto, a estender a mão para quem passa, na esperança de amealhar uma esmola cujo principal beneficiário nunca aparece, pelo menos publicamente.