Em DestaqueFlashPolítica

Professores do ensino particular sobrevivem com a venda de lixos dos contentores

Mesmo com a (re) abertura do ano lectivo 2020 em todo o país, nesta segunda-feira, 05 de Outubro, seis meses depois da sua suspensão, professores do Ensino particular em Cacuaco, província de Luanda, continuam sobrevivendo com a venda de lixos dos contentores.

A triste realidade foi constatada nesta manhã de Segunda-feira, 05, pela equipe do Jornal “O PRIMEIRO”, que inesperadamente observou alguns profissionais do giz a recolher lixos nos contentores para sobreviver.

Ora o “O PRIMEIRO” esforçou-se em ouvir, na ocasião, os senhores António e Ramos, professores de uma instituição privada no Belo Monte, que dizem depender da venda de lixos recolhidos nos contentores para sustentar suas famílias.

“Desde Abril que não somos tidos e nem achados pelas instituições para as quais trabalhámos. É por estes motivos, que decidimos recolher e vender tais objectos para sustentar nossas famílias”, disseram.

Já o outro jovem, Ribeiro José, professor de outra instituição privada na Pedreira, mais do que lamentar a triste situação por que passa desde Março último por força da covid-19 também acusou o Ministério da Educação de estar a contribuir na “desgraça” desse profissional que não conta salário há quase sete meses.

“[…] Por um lado o nosso sofrimento é consequência da covid-19, isso é inegável. Mas por outro sinto que o MED, com o seu silêncio, também contribui no nosso sofrimento”, acusou.

Por outro, uma professora que preferiu anonimato reconheceu o quão duro é a situação e, no entanto, apelou o Executivo angolano a prestar mais atenção à classe docente por esta, segundo ela, ser a chave de toda e qualquer sociedade.

“É mesmo difícil reconhecer onde estamos a passar, mas não há nada que permanece. Por isso apelo ao Executivo a prestar mais atenção aos professores da função pública e privada. Pois a Educação é a chave de qualquer sociedade”, apelou.

Lembrar ainda que o Sindicato dos Professores (SINPROF), na pessoa de Guilherme Silva, lamentou neste sábado, 03, à Rádio Despertar, a situação deplorável por que passa a classe e apelou o Executivo a criar políticas sérias que possam dignificar doravante os professores.

De recordar que, no dia 05 de Outubro, celebrou-se o dia internacional do professor.

Assinatura: Ngola Ntuady