Em DestaquePolítica

Tráfico humano tem participação de “funcionários públicos”

As prática do tráfico humano leva um avanço da prostituição no país, esta prática, está em alta e o tráfico humano continua a preocupar as autoridades angolanas, uma vez que os números não param de crescer.

A direcção nacional de combate ao crime organizado do SIC, revelou que, dos 115 casos de tráfico humano registados em seis anos, 27 já foram julgados e outros transitaram para a próxima fase.

Em Angola o tráfico de mulheres e crianças tem sido uma constante, há relatos que esses grupos têm agido de maneira estruturada devido o grande foco da prostituição na cidade de Luanda, todos estes grupos têm sempre um recrutador, disse o director do INAC, Paulo Calessi, num debate da RNA.

Há muita criança a desaparecer que no entanto foram impedidas de transitar pelas autoridades, e que muitas delas são apanhadas com documentos falsos. Com relação a este assunto, a Procuradoria Geral da República, junto do Serviço Migração Estrangeira, mostrou-se preocupada com a situação, e garantiu existir participação de funcionários públicos ao tráfico humano, que muito em breve a justiça aguardo .