CulturaEm DestaqueSem Categoria

Pandemia deixa o sector cultural angolano cada vez mais pobre


Até ao momento o sector da cultura é o sector mais afectado pela Covid 19 em todo mundo, sendo que cada dia que passa em Angola os números de pessoas afectada pelo novo corona vírus tende aumentar facto   este que tem dificultado o ajuntamento de pessoas.


Em 2020,o sector divulgou o fraco orçamento dos órgãos ligados a cultura, com a paralisação de actividades consequentemente, museus, centros culturais, casas de festas e danças, vendas de álbuns, encerramentos dos cinemas, cancelamentos de grandes eventos além    fronteiras entre tantas outras coisas que impactaram negativamente nas actividades culturais do pais.


  Sendo que, pelo menos o sector da cultural em Angola, é um dos sectores que mais emprega pessoas em particular em Luanda.


Manuel taitiano, empreendedor, disse que foi obrigado a demitir pois já não via outra alternativa.


“Fui obrigado a despedir mais de 11 funcionários por falta de orçamento, visto que não podemos realizar actividades culturais, sou dono de duas casas noturnas que neste momento encontra-se fechada” realçou.


Lamentou também Cameia, Ceo do grupo novos eventos:


“A pandemia está a influenciar de forma negativa sendo que muita gente sobrevive de espectáculos, actividades que envolve muita gente. O sector da cultura também, por causa da Covid faz com que músico, organizador de evento recorressem a prática ilícita para serem vistos. Como simulação de problemas, raptos e roubos e outros males, essa pandemia veio deixar a cultura ainda mais pobre” Lamentou.

Estudos afirmam que em todo mundo, 90 De 60 mil museus existentes permanecem encerrados, sendo que o mercado angolano perdeu cerca de 300milhoes no período 2020/2021 com mais de 5 mil eventos cancelados em todo o Pais.